domingo, 26 de dezembro de 2010

Sobre a dor boa de viver.


Então seu moço trate de viver, trate de doer, mas digo daquela dorzinha calma e doce que dá na gente quando a gente faz uma coisa chamada “Viver loucamente, amor.” Você se lembra das noites escuras que te iluminei? E me senti iluminada por estar ao lado seu?! Nós formamos o perfeito equilíbrio entre tristeza e felicidade. Eu toda nova vendo o quanto a vida cuida em despedaçar os sonhos de gente toda nova. E você cheio de experiência me ensinando a esconder feridas antigas, não só dos outros, mas de mim também, tratar de esquecê-las. Disse-me que eu trouxe sua vida de volta e que me deve, mas você tem trazido aos poucos meu sorriso e minha vontade de volta, estamos quites então. Viva e sinta essa dorzinha que dá em gente que não vive nas superfície das coisa.


Escrevi esse texto pro meu melhor amigo Marcelo, quem tem mostrado coisas tão, tão lindas *-*

2 comentários:

Mister Neurotic disse...

Ficou muito lindo. Você disse que o amor dói e é assim que o vejo.

Tania Montandon disse...

Idéia boa de doer! ;)
beijo