domingo, 26 de dezembro de 2010

Sobre a dor boa de viver.


Então seu moço trate de viver, trate de doer, mas digo daquela dorzinha calma e doce que dá na gente quando a gente faz uma coisa chamada “Viver loucamente, amor.” Você se lembra das noites escuras que te iluminei? E me senti iluminada por estar ao lado seu?! Nós formamos o perfeito equilíbrio entre tristeza e felicidade. Eu toda nova vendo o quanto a vida cuida em despedaçar os sonhos de gente toda nova. E você cheio de experiência me ensinando a esconder feridas antigas, não só dos outros, mas de mim também, tratar de esquecê-las. Disse-me que eu trouxe sua vida de volta e que me deve, mas você tem trazido aos poucos meu sorriso e minha vontade de volta, estamos quites então. Viva e sinta essa dorzinha que dá em gente que não vive nas superfície das coisa.


Escrevi esse texto pro meu melhor amigo Marcelo, quem tem mostrado coisas tão, tão lindas *-*


Bem, esse é o primeiro selo que recebo, veio do blog entrelinnhas. Super lindo, agradeço.


Regras:
- Responder as perguntas abaixo;
- Indicar um bom livro;
- Indicar um bom blog;
- Repassar o selo para outros blogs;

1º Qual seu melhor texto?
"Finalmente limpa" e "Quando chega a hora."
2º O que mais te inspira à escrever?
Pessoas, sentimentos, acontecimentos e etc.
3° Escrever para você é...?
Tirar de mim e colocar no papel, libertar.
4º Você admira algum escritor? Qual?
Admiro demais o Caio F. de Abreu




Livro:
Morango Mofados - Caio F. Abreu

Blog:

O selo vai para:


sábado, 11 de dezembro de 2010

Você precisa ver.


"Pois é, não deu."


Eu só queria mostrar pra ele que tudo que eu queria era clareza, só precisava que ele percebesse que tudo que em mim parecia rude era o mais puro doce. Por que a gente sabia que não iria durar, essas coisas inundadas de sentimento não duram. O que dura é o que fica na superfície, todo o resto afunda.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Finalmente limpa!


"O sentimento de ausência foi saindo de mim vagarosamente em uma série de pontadas de dor."




Hoje foi dia de faxina, limpei os lugares em mim que estavam mofados, assim como as roupas, joguei fora os sentimentos que não cabiam em mim. Esfreguei as manchas do passado até que elas sumissem, lavei de mim os resquícios de você.Estou finalmente limpa.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Se foi


Eu falo sobre aquele amor forte que se tornou um carinho especial.
Eu falo sobre aquela paixão quente que se tornou uma amizade passiva.
Eu falo sobre tudo que partiu e me deixou, eu e minha dor, de todas as perdas.
Tudo se perde. Eu perco tudo. Nós nos perdemos.

sábado, 20 de novembro de 2010


Menina, meu problema foi que eu cutuquei o passado como se eu pudesse solucionar. Não solucionei.Fiz foi me machucar por demais...

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Deus, como eu quero PAZ!


Ele me pergunta o que houve comigo, respondo que é medo, e só.
Realmente é só medo, medo esse que me perturba, me impede de viver, de ser, fazer...É por esse meu medo que não consigo me reaproximar de você, é por esse meu medo que te joguei para fora do meu campo de afeto. Não consigo te olhar do jeito que você queria, não posso. E esse tal medo me impede. Desculpa.

domingo, 14 de novembro de 2010

Você acha que isso não me machuca?


Olha eu não consigo te alcançar. Se você continuar andando
assim tão rápido a gente vai se perder, eu vou te perder e
quando eu te perco tudo em mim doí.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Tudo o que fez foi perturbar a ordem.


"Quando há portas eu não sinto mais vontade de entrar."

Você funciona ao contrario. Quando te pedi presença tudo que me deu foi ausência. Agora que te peço desesperadamente ausência você se torna cada vez mais presente dentro dos meus pensamentos e sentimentos. A gente consegue voltar a ter conversas amigáveis e sem muita intimidade, mas quando te pedi isso você se calou. Agora te peço para seguir em frente, você volta.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Coletânea de versos bobos


Agora eu vejo a minha vida deitar calmamente no chão e ouço o pisotear em cima dela.
E choro ao ver o quanto acomodada ela parece estar, como se já não importasse. Ela não liga!!


É uma ferida fechada, mas nos dias que chove lembrança doí feito louca.


Não suporto ver que você se distancia cada vez mais de mim.


Quero partir para poder ver a gente se desprender da gente aos poucos, quero partir pra onde o tempo me dê tempo.


Olha só eu cheguei de leve, te machuquei devagar e ainda saí com os pés nas nuvens...
quero ver como você suporta


sábado, 23 de outubro de 2010

Comparações,


"Não me parece justo quando você diz que eu não tentei, eu tentei até cansar. Cansei! "





Você é igual aquele livro que eu amo muito, mas é cansativo e eu só consigo ler até certa parte.
Você é como meu controle remoto que as vezes tenho que sacudir - feito boba - para lembrar de cumprir a obrigação.
Você é como abacaxi, muito bom de saborear, mas fere a língua.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Quando chega a hora


"Hoje te liberto de mim, para sempre. Não é minha vida que tiro. É a sua que devolvo. Não estarei em lugar nenhum."






As perspectivas que eu tinha em relação a você acabaram de me esbofetear e rir de mim. "Bem feito sua idiota." - elas diziam - Pois é está na hora de para de chorar, resmungar, entristecer, parar com você. Eu parei com você eu cansei de ser a que vai te esperar reclamar até secar a garganta, chorar de barriga cheia. Eu parei com você, cansei de saber que você é um doce com elas e eu só sirvo para você se encostar para não cair, se encostar e reclamar infinitamente.
Eu sempre quis dizer "Olha cara não se encosta em mim não, nem consigo me firmar no chão, não encosta em mim não." Mas eu nem dizia, achava que você me fazia tão bem, precisava tanto de você e então ia arrastando a gente. Então eu deixava você se encostar em mim e eu já caindo achava sempre um jeito de segurar nós dois. Eu precisava do seu doce, precisava do seu mel pingando sempre em mim, mas agora eu parei com você e o seu mel me dá ânsia de vômito, eu parei com você!

sábado, 16 de outubro de 2010

(...)
- Ás vezes eu sinto falta de mim
- Eu também
- Sente falta de você? ele pergunta
- Não, de você. E doí.
(...)
- Se cuida.
- É o que estou tentando fazer, ela respondeu


Inpirado no Caio F.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Vazio já conhecido


"Eu não consigo te esquecer e isso é tão triste (...) O dia em que você partiu foi o dia em que eu percebi que nada mais seria o mesmo"




Aquele foi o mês mais vazio da minha vida, tentei encher com tudo quanto é coisa: Algodão, pano, areia, tentei até colocar gente no lugar do vazio. Nada resolve, nada enche.
Eu não estava pronta para te deixar partir, você foi se solidificando na minha vida e agora se solta assim do nada?! Ficou com um pedaço meu, me deixou pela metade, faz isso não.

sábado, 9 de outubro de 2010

E então se foi...


"Você foi me tirando os espaços entre os abraços. Guarda-me apenas uma fresta..."

Você foi se desvencilhando de mim aos poucos como se nossos trilhos estivessem enferrujados. E eu na minha perfeitíssima ignorância tentava te puxar de volta. Debalde. Então cada vez mais você foi me empurrando bem devagar da sua vida. E eu tentando agarrar seus pés, apertando forte os cacos que sobraram do amor, e parecia que quanto mais eles me cortavam mais eu apertava

domingo, 3 de outubro de 2010


E eu que te enterrei na cova mais funda que achei, acabei tropeçando em lembranças que insisti não lembrar, agora você revive dentro de mim e mais uma vez rouba a vida de minha mãos

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

E eu que não queria mentir passei a sorrir do seu lado


Roberta Campos

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Aaah, o 'amor'

Eu na aula mais chata do mundo escutando musica com os olhos quase transbordando, pensando que as coisas são melhores se não forem.
Ele me olhando como uma criança olha para o céu, com todo o amor e inocência do mundo, escreveu num papel "A medida de amar é amar sem medidas. Te amo." Eu sorri e respondi "Também te adoro, querido." Mas pensei: Amar sem medidas porra nenhuma, tudo que é profundo doí e eu cansei de me doer toda, eu preciso aprender a viver na superfície das coisas.-e vale a pena?!-Aquele papel foi para o lixo e daqui a alguns dias a esperança do menino também vai para o lixo, e daqui a mais alguns dias ele vai estar olhando maravilhado para outra menina que talvez não esteja tão cansada como eu.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Um dia

Um dia vou conseguir dizer seu nome sem todos os meus músculos se contorcerem.
Um dia vou conseguir lembrar de você sem enjoar eu e o estômago fraco que Deus me deu.
Um dia vou conseguir falar de você sem meus olhos encherem d'água.
Um dia eu vou escrever algo que não seja sobre você.
Um dia eu vou voltar a viver, eu volto a ser!
Vou remar, re-amar, amar.

sábado, 11 de setembro de 2010

Quase.

Eu acordei bem, me levantei bem e me senti a melhor pessoa do mundo, porque eu respirava bem e de fato estava bem.
Dessa vez você quase me fez chorar, você quase me deixou louca, aflita, mas olha só VOCÊ QUASE!!
Dessa vez não vou deixar você me derrubar, não vou subverter os sentimentos, agora está tudo calmo, tudo no lugar certo!
Eu sai sendo a melhor pessoa do mundo e ri, eu ri tanto que aposto que te deixei mal. Eu estou respirando bem e agora, sem você.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Agora você vem me dizer que precisa de um tempo, odeio quando se pede tempo, o tempo é igual a três pontinhos, e isso, esses três pontinhos, é a uma coisa que nunca acaba, mas doí. Um ponto final também doí, mas acaba. E os três pontinhos é como uma porta que ficou aberta e eu não vou conseguir fechar, deixar pra lá...

sábado, 19 de junho de 2010

Eu voltei ao amor por você, estava já meio cansada de chorar em cima dessas feridas que parecem nunca fechar. O tempo não me foi muito útil, mas você me parece ser. E se não for...

terça-feira, 15 de junho de 2010

É sempre o mesmo...

Não importa quantas vezes mais eu experimente essa dor, minha cabeça nunca gira menos, minha perna nunca bambeia menos e meus ouvidos nunca zunem menos de perplexidade.
é sempre, e sempre a mesma coisa...

sexta-feira, 11 de junho de 2010

A sua ausência...

As provas estavam a vista e não poderiam mentir, as provas eram as marcas nas paredes do quarto, marcas de cigarros apagados sem ser terminados. Eu os apagava como se apaga um novo romance, os apagava pensando se poderia também daquela forma apagar a vida, me auto-iludia acreditando nas minhas próprias mentiras afinal se eu não acreditasse quem acreditaria?!
Na confusão de fumaça que estou paro pra pensar porque fumar duas carteiras de cigarro em 24 horas, no mesmo pouco tempo que a fumaça entra em meu pulmão eu tento me lembrar o porque faço isso. Pode ser por falta do que fazer, pode ser por sua ausência que teima em me perseguir, pode ser por outros milhões de motivos pois eles nunca deixaram de existir. Tantas desilusões eu já passei e por pura fraqueza decidi me ausentar de tudo, exceto de você, mas agora o que me resta é o cheiro do resto de fumaça. Você só me deixou o medo de cair.
Lembro que me obrigava a passar horas a fio com você e eu sempre achei muito embora gostasse. Agora essas horas me fazem tanta falta. As marcas estão aqui, a ausência esta aqui, a dor esta aqui, só você não está, é, não está. Triste é ficar longe do que me faz bem.

E duas carteiras de cigarros fumados pela metade que resultam, no final, uma carteira inteira, ainda é muito, muito por uma pessoa. Mas já nem me importa mais por isso vou fumar mais alguns, quem sabe assim você apareça por aqui, ou pelo menos minha ansiedade posso se aquietar na sua insignificante dor.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Conclusões

Pular para conclusões precipitadas é tão perigoso quanto pular de um penhasco, mas creio que a decepção de cair do penhasco em uma viagem dolorosa é ainda menor que a decepção de descobrir que se concluiu precipitadamente.
O silencio já me faz cair em muitas viagens dolorosas, pois com o silencio eu conclui precipitadamente várias e várias vezes. E não pude evitar sorrir precipitadamente e depois chorar. Ou chorar precipitadamente (e em vão) e depois sorrir.

Coletânea de frases bobas

Se eu usasse meu dentes para morder alguma coisa do jeito desleixado que você me ama,eu sei que não deixaria nenhuma marca...

-

Mas é que você sou eu, e eu de fato, não me sinto tão você.

-

Foi eu quem escolheu o meu caminho e foi eu quem não conseguiu segui-lo.

-

Faço isso porque é o único jeito de me livrar dessa minha realidade ferrada!

-

Eu já me sinto melhor, mas você não precisa saber. Não vai mais precisar ter medo do medo. Você sabe que estava certa.

-

Agora vou fingir até que eu pseudo-faça...

domingo, 30 de maio de 2010

De nós pra nós.

Só se lembre que existia sentimento em mim, o melhor sentimento.
Mas foi você que me fez matá-lo, picar em pedaços e jogar fora. Eu ainda quero refazê-los, mas não com você, nem pra você, nem com ninguém. Quero refazê-los para mim, pro meu vazio. Eu vou procurar pra ver se me acho, vou me amarrar num embrulho dourado e me entregar para mim! Vou cuidar de mim para mim...

sábado, 29 de maio de 2010

Cuidado com o que você diz pra mim, eu me faço fraca.
Tenho a alma pegando fogo, a cabeça explodindo, o coração derramando sentimento. Mas não liga não. Eu faço isso só pra chamar sua atenção, essas coisa são só minhas, e pronto!
Parece que você sempre briga com quem está em cima do muro. Você sempre briga comigo e eu brigo de volta e fica nisso.
Mas é que dificilmente eu vou ser explicita, quase nunca. Eu não posso ser igual a você, não consigo fluir igual a você. Não vou ficar exteriorizando o que é só meu, prefiro continuar em cima do muro, assim chamo sua atenção, mesmo que você continue brigando comigo...